sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

EDUCAÇÃO SEXUAL-INTERNET

Vi ontem o debate sobre a educação sexual e internet. Acho muito bem que se fale e debata estes temas, muito em especial a educação sexual, só que a achei pobre e mal estruturada e portanto nula.
Sou septuagenária, portanto com três gerações ás costas. Na minha geração, a educação sexual, em casa ou na escola era nula, era tabú. Na geração dos meus filhos esse assunto era tocado muito ao de leve, ainda que eu o abordasse com objectividade, pois não queria que os meus filhos caíssem nos mesmos erros que eu caí. Na geração dos meus netos, o assunto já era mais ou menos aberto, ainda que não fosse o essencial e o mais correcto. Hoje, que estamos no século XXI, o tema é mais amplamente tocado ainda que de forma incorrecta. Tenho bisnetos, uma delas já na adolescência, e receio muito que o tema lhe chegue ao conhecimento a maior parte das vezes, da pior forma, por amigas, colegas mal informadas e internet. A mãe é pessoa aberta, que não vai negar respostas a sua filha, e ela sabe que até a mim pode perguntar que eu respondo, mas nós já fomos adolescentes também, e, sabemos que os filhos mais facilmente requerem o conhecimento dos da sua idade do que dos adultos.
A educação sexual, deve ser ministrada pelos pais a partir da infancia, porque a sexualidade não
começa na adolescência, mas muito mais cedo, é um instinto natural e animal, e, nós somos sobretudo animais, ainda que racionais.
A escola não é um organismo educacional, é um organismo dedicado á instrução, o organismo educacional é o lar.
É certo que a escola pode fazer uma abordagem, desde que os alunos o queiram, dentro das áreas de instrução que o permitam, no estudo do corpo humano, etc., como alerta para a saúde,
para a prevenção. Mas nunca como uma disciplina.
Essa disciplina pertence aos pais e familiares, que a devem ministrar desde que a criança começa a fazer perguntas, respondendo correctamente com a linguagem e exemplos que possam ser absorvidos de acordo com as idades.
Não há desculpa de que não têm tempo, para os filhos devemos ter sempre tempo, desde que queiramos, temos sempre tempo para tudo. E se achámos que estavamos aptos a ser pais, temos o dever de estar disponíveis para os educar, os ouvir e lhes dar as respostas a que têm direito.
É precisamente essa lacuna dos pais de hoje que propicia a procura de respostas onde não devia
ser procurada. No meu tempo, as respostas eram procuradas erradamente, porque os pais se negavam a dá-las por ser tabú, hoje negam-se a dá-las porque não têm tempo. Então não tragam filhos ao mundo.
Quanto á violência, quer nas escolas, quer nos namoros, tudo se deve ao mesmo, a falha dos pais ou o exemplo caseiro. Todos sabemos que a violência doméstica existe ainda em grande escala, e, o exemplo dos filhos são os pais.
Quanto ao assunto internet, é certo que na internet as crianças têm acesso a este assunto e a outros mais, talvez mais prejudiciais, mas mais uma vez cabe aos pais saber elucidar seus filhos como devem utilizar a internet de forma construtivae a banir os programas que nem aos adultos interessa. Também é verdade que, a criança, sendo já de si curiosa, irá tentar saber porque seus pais não querem que veja certos programas, é absolutamente natural . Mas se tiver sido bem elucidada, certamente que aos primeiros impulsos, sucederá o desinteresse, pois nada de novo lhe pode advir dali. A internet é um meio de adquirir conhecimentos sobre assuntos que podem na realidade interessar a criança e o adolescente, bem como o adulto, é preciso que se lhes saiba despertar o interesse naquilo que vale a pena.

1 comentário:

The Dream disse...

Pois é vozinha,
quem fala assim não é gago...

E de uma forma frontal e simples disseste tudo.

Eu tento sempre fazer o MEU melhor. E de certeza que não nego respostas aos meus filhos seja sobre que assunto for.Não deve haver Tabu seja em que assunto for, pois tudo é conversável. Para tudo há resposta, acima de tudo a mentes curiosas que são as crianças (acima de tudo adolescentes).

Os pais devem estar sempre presente, não querendo dizer com isso fisicamente, e ajudar os filhos a ultrapassar fases mais complicadas na vida deles. Principalmente nos dias de hoje que se aprende tudo MUITO mais rápido, e como tu mesmo o disseste, das formas mais erroneas. Atentos, é o que devemos ser e estar.

Somos pais e educadores, e com isto TAMBEM professores: PROFESSORES DA VIDA !

Certo?

Abreijos grandes de quem te ama e respeita IMENSO
Tua neta Paula