sexta-feira, 9 de maio de 2008

ENSINO-ESCOLAS E UNIVERSIDADES


Os professores das universidades, especialmenta da medicina, deveriam frequentar as palestras do psiquiatra psicoterapeuta AUGUSTO CURY, para +pderem formar médicos mais humanos, que tentassem curar as pessoas e não somente os orgãos.

se não puderem ir ás suas conferências, pelo menos tentem ler os livros que ele escreve, pois teríamos profissionais em medicina mais aptos a ajudar e a curar os seus pacientes,

A medicina não é só uma ciência baseada nos farmacos, é uma ciência que através destes com a ajuda humanitária de cada profissional da medicina, traz resultados inexplicáveis.

A psicoterapia é uma ciência que pode ajudar a medicina geral, não só a psiquiátrica.

Os professores da medicina, com o correr dos tempos, tornam-se mecanizados, usando somente os factos palpáveis dos conhecimentos adquiridos com a pesquisa e a dissecação de cadávres, esquecendo que o paciente é também um ser humano com as suas limitações, que luta pela vida, contra a dor, mas que tem sentimentos, frustações, desejos, sonhos, necessidades emotivas, que devem ser tidas em conta a quando das suas queixas. Não devem ser tratados como os animais que não sabem exprimir-se, nem usar o seu imo para lutar contra a doença que por vezes é mais moral que física.

A.Cury disse:

"Um dia todos nós vamos para a solidão de um túmulo. Uma criança com um dia de vida já é sificientemente velha para morrer. A morte é a derrota da medicina, Todavia apesar das limitações da ciência, devemos usar todas as nossas habilidades, não apenas para prolongar a vida, mas para fazer dessa breve existência uma experiência inesquecível. Os médicos devem ser pessoas de uma rara sensibilidade, artesãos das emoções, profissionais capazes de ver as angústias, ansiedades e lágrimas que se escondem sob os sintomas. Caso contrário, tratarão de orgãos e não de seres humanos.

Acima de tudo, os médicos, bem como todos os profissionais da saúde, devem ser vendedores de sonhos. Pois se conseguirmos fazer os nossos pacientes sonar, ainda que seja com mais um dia de vida ou com uma nova maneira de ver as suas perdas, teremos encontrado um tesouro que os reis não conquistaram."


O mesmo sucede nas outras universidades, em que os professores se tornaram meros oradores, não deixando lugar para o sonho e imaginação. Eles desbobinam a matéria a dar, mas mecanicamente, sem se preocuparem se os alunos a apreenderam com a alma ou só com a mente. Daí resultarem profissionais coma empáfia de um canudo, sem humanismo e muitos sem escrúpulos.


Mas o mal já vem de trás, das escolas, onde tudo hoje se processa mecanicamente, só que tomam carácter permanente nas universidades.


Profissionais do ensino, a todos sem excepção, eu rogo que trateis vossos alunos como seres humanos que são, não descurando a parte emocional, não criem máquinas mas humanos capazes de tornar o mundo melhor.

1 comentário:

Paula Nogueira disse...

Uma viva ao Augusto Cury, que nos ensina de uma forma unica e especial a tratar de seres humanos e não "corpos andantes".


Adoro os livros dele, da sensibilidade dele...

Obg por o retratares aqui avó.

Bjs**